Anaxandra se batia para achar o matiz certo
traiçoeiro o mar aberto
a si camaleonava
de acordo com a dança de Apolo pelo céu

variava do turquesa ao mais brasil tom do mel

muito à areia sentava, queimando seu pelo lindo
ao rei-astro seduzindo
e a todos que passavam
e ensimesmada só pensava no vil pigmento

pitoresca era ela mesmo em seu pior momento

sem achar tonalidade e empanada de areia
Euro-Aquilão no rosto
levantou-se de sua canga
e pensavam os meninos: o que deu na Anaxandra?

pesquisava a fundo a cromatização mediterrânea.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *