na noite do amanhã opcional
à mesa eu trarei uma balança
pra procurar um grama de esperança
no peito que eu ostento estrelado.
pois, apesar das glórias do passado,
não ouso esperar paz do meu futuro.

na noite do amanhã opcional,
pra ver se ainda sigo necessário,
de minha sorte farei inventário
mas creio que ela não se faz presente.
se demoção não encontrar na mente,
à imagem do cruzeiro, resplandeço.

na noite do amanhã opcional,
gigante, me darei à natureza.
ao belo, forte, impávido concreto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *